Regulamento Real Proteção Veicular

1. DA NATUREZA E OBJETIVOS DA ASSOCIAÇÃO

1.1. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR é dotada de personalidade jurídica, constituída na forma de Associação, ou seja, uma reunião de pessoas com fins comuns, de acordo com o artigo segundo de seu Estatuto, não devendo ser confundida em nenhuma hipótese com sociedades empresariais mercantis que explorem o ramo de seguro, já que a Associação não é seguradora.

1.2. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR tem como objetivo primordial conferir proteção e segurança aos veículos de seus associados, através da repartição entre esses, de eventuais prejuízos sofridos nestes
bens, ocasionados por acidentes, furto qualificado ou roubo, incêndio não intencional, enchente e inundação,  de acordo com as normas estabelecidas neste Regulamento.

2. DOS ASSOCIADOS

2.1. COMPETE A CADA ASSOCIADO:

2.2. Agir com lealdade e boa-fé com os demais associados e com a Associação, sempre velando pelo seu regular funcionamento e buscando alcançar os fins institucionais;

2.3. Cumprir todas as normas estabelecidas neste Regulamento, bem como outras a serem expedidas formalmente pela presidência;

2.4. Manter o veículo em bom estado de conservação;

2.5. Dar imediato conhecimento a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, caso haja:

a) Mudança de domicílio fiscal;

b) Alteração na forma de utilização do veículo;

c) Transferência de propriedade;

d) Alteração das características do veículo.

2.6. Tomar todas as providências ao seu alcance para proteger o veículo acidentado e evitar a agravação dos prejuízos;

2.7. Empenhar todos os esforços para ser ressarcido de prejuízos causados por terceiros;

2.8. Comunicar IMEDIATAMENTE às autoridades policiais e a ASSISTÊNCIA/0800 da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR em caso de desaparecimento, roubo ou furto do veículo. Se a comunicação não for realizada em até 12:00h após o evento poderá haver recusa no ressarcimento;

2.9. Avisar IMEDIATAMENTE a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR de qualquer acidente com o veículo, incluindo furto ou roubo, relatando completa e minuciosamente o fato no BOLETIM DE OCORRÊNCIA, mencionando dia, hora, local, circunstância do acidente, nome, endereço e carteira de habilitação de quem dirigia o veículo, nome e endereço de testemunhas e providências de ordem policial tomadas;

2.10. Aguardar  autorização da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR para iniciar a reparação de quaisquer danos no veículo.

2.11. Em caso de acidente onde fique comprovado a culpa exclusiva de terceiro, o associado outorgará procuração pública, lavrada em cartório de notas, em nome do presidente ou vice presidente da associação, para que esse possa representar o associado judicialmente, com o intuito de reaver os valores gastos com o reparo do veículo.

2.12. O associado outorgará procuração particular, a advogado indicado pela associação, com o escopo de ingressar com ação judicial para cobrança de terceiros, dos gastos realizados com o conserto do veículo do associado.

2.13. O associado se compromete a entregar à associação, dentro do prazo por essa estabelecido, todos os documentos necessários para a propositura da ação acima.

2.14. Caso necessário, a ação será proposta diretamente em nome do associado.

3. DA FILIAÇÃO E DESFILIAÇÃO DOS ASSOCIADOS

3.1. Para se tornar associado da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR o pretendente deverá encaminhar requerimento escrito à Presidência da Associação, acompanhado da cópia dos seguintes documentos:

a) Carteira Nacional de Habilitação;

b) CRLV e CRV dos veículos a serem cadastrados;

c) Nota fiscal do revendedor ou fabricante, em se tratando de veículo (“0” Km);

d) Comprovante de residência;

e) Contrato social ou estatuto social, caso o veículo esteja em nome de pessoa jurídica;

f) Apólice de seguro contra terceiros do veículo cadastrado (se houver);

3.2. O período mínimo de associação dos membros da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR é de 03 (três) meses a partir do ingresso no corpo social e, caso o associado venha usufruir do benefício de repartição de prejuízos materiais conferido pela Associação, sua exclusão ficará condicionada à quitação de todas as suas obrigações junto a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR até a data de sua saída.

3.3. A exclusão do associado quando necessária,  se dará na forma como segue, sempre lhe garantindo a ampla defesa:


a)  A requerimento do próprio associado;

b) Por decisão do Presidente, se o associado praticar atos que firam os interesses, normas, objetivos ou finalidades da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, após processo administrativo que assegure ao interessado, oportunidade de ampla defesa.


3.4. A Proposta de Proteção do(s) veículo(s) e de admissão de novos associados poderá ser recusada em até 15 dias pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, contados a partir da data do seu recebimento. A eventual recusa e os motivos desta serão informados ao interessado,  descrito na proposta. Os valores eventualmente pagos serão devolvidos.

3.5. Em qualquer tempo, poderá o presidente da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR solicitar a exclusão de qualquer dos associados ao julgar que o mesmo não age em favor dos interesses dos associados.

4. DO CADASTRAMENTO E CANCELAMENTO DOS VEÍCULOS DOS ASSOCIADOS

4.1. O cadastramento dos veículos será realizado através de vistória prévia realizada pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, que constará de fotos, um laudo descritivo das condições do veículo, e de todos os documentos listados na CLÁUSULA .1.

4.2. O veículo cadastrado junto à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, não poderá ser protegido por seguros particulares, sob pena de o associado perder seus direitos em relação aos benefícios oferecidos pela Associação e ser excluído de seu corpo social.

4.3. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR faz no ato do cadastro avaliação do valor de mercado do veículo.

4.4. O associado só terá direito a usufruir daqueles benefícios que foram discriminados no laudo de vistoria/cadastro do veículo.

4.5. No ato da vistoria do veículo será cobrada uma taxa de cadastro, sendo essa no valor de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais).

4.6. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR se resguarda no direito de deferir ou indeferir o cadastramento de qualquer veículo, seja o seu proprietário associado ou não.

4.7. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR poderá exigir, para determinados modelos de veículos, a instalação de equipamentos rastreadores, localizadores ou bloqueadores pré-determinados pela Presidência, com vista a diminuir a propensão de furto/roubo destes veículos.


4.8. A proteção conferida pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, tem início após a realização de vistoria e assinatura do laudo de vistoria e contrato, momento em que estará o associado coberto contra roubo, furto, colisão parcial e total, danos da natureza e incêndio sem indício criminoso, para os veículos pertencentes a cláusula 4.14 as proteções contra roubo e furto passarão a ter vigência após a instalação do rastreador. A assistência 24 horas poderá ser usufruida após 03 dias úteis da data do preenchimento do laudo de vistoria.

4.9. Para o cancelamento da proteção do veículo cadastrado, o associado deverá solicitar, assinar e encaminhar imediatamente para a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, o termo de cancelamento de cadastro do seu veículo.

4.10. Mesmo havendo o cancelamento, fica o associado responsável pelo pagamento dos valores que por ventura forem devidos, inclusive dos valores referentes ao período em que figura a data do cancelamento. A efetivação do cancelamento do veículo será a partir da data do recebimento do termo pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

4.11. Fica inativado o (s) cadastro (s) do (s) veículo (s) do associado que permanecer inadimplente após a realização do rateio subseqüente ao faturamento referido no boleto em aberto.

4.12. Em caso de inadimplência por tempo superior à 05 dias após o vencimento original do boleto, o associado deverá solicitar uma segunda via com nova data de vencimento, e a continuidade da proteção fica condicionada ao pagamento do boleto, bem como,  a uma nova vistoria do veículo, a ser realizada pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, que identificará, por formulário próprio, a integridade do veículo. Os custos das vistorias ficarão por conta do associado no valor de R$30,00 (Trinta reais).

4.13. Caso o (s) cadastro (s) do (s) veículo (s) seja (m) inativado (s) e o associado deseje ativá-lo (s) novamente, ele deverá quitar todos os seus débitos com a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR e ainda refazer todo o processo de cadastramento do veículo citado na CLÁUSULAS 4.1 e 4.5, arcando com todas as despesas decorrentes de tal processo.

4.14. Para os veículo Palio, Gol, Uno, Saveiro, Strada, Fiorino, Punto, Siena e Voyage com valor entre 20.000,00 (vinte mil reais) e 30.000,00 (Trinta mil reais)  será obrigatório a instalação de equipamento rastreador, devidamente credenciado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

4.15. Para todos os veículos com valor acima de R$30.000,00 (Trinta mil reais), será obrigatório a instalação de equipamento rastreador, devidamente credenciado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR. Os veículos Golf e Stilo independente do valor de tabela Fipe deverão ser equipados com rastreador.

4.16. Para os veículos não previstos nas cláusulas 4.14 e 4.15, será exigido a colocação de equipamento antifurto.

4.17. Em ambos os casos, a instalação dos equipamentos acima mencionados, deverá ser comprovada por meio de documento próprio no ato do cadastramento do veículo, sendo o custo com a instalação de tais equipamentos por conta do associado.

4.18 . A não comprovação da referida instalação desobriga a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR de qualquer indenização em caso de furto ou roubo.

4.19. Em caso de inadimplência referente ao pagamento do boleto mensal, por um período superior a 15 (quinze) dias, a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR poderá incluir o nome do associado no cadastro do SERASA e do SPC.

4.20. Para as motos a partir de 300 cilindradas será obrigatório a instalação de equipamento rastreador, devidamente credenciado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

4.21. Para todas as motos com cilindrada acima de 400cc, será obrigatório a instalação de equipamento rastreador, devidamente credenciado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

 

5. DA PROTEÇÃO CONCEDIDA AOS VEÍCULOS DOS ASSOCIADOS

5.1. A proteção concedida pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR será feita pelo rateio dos prejuízos entre os associados, obedecendo o índice de rateio de cada veículo, especificado na TABELA 2 da CLÁUSULA 10.1, e se dará na forma de concessão de benefício, de acordo com o estabelecido abaixo.

5.2. Os veículos dos associados da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR estão protegidos nos seguintes casos:

a) Colisão, capotamento, abalroamento, queda, incêndio, desde que não seja provocado pelo associado, acidente durante transporte do veículo por meio apropriado, queda de objetos externos sobre o veículo, submersão por inundação ou alagamento, chuva de granizo;

b) Os pneus e câmaras de ar estão cobertos, desde que não afetados isoladamente nas circunstâncias descritas acima. Os pneus com até 6 meses de uso serão pagos integralmente. Aqueles com vida útil igual ou superior a 6 meses serão restituídos em 50% do seu valor integral, mediante apresentação de nota fiscal;

c) Os acessórios que fizerem parte do veículo no momento da inspeção inicial, desde que constado na nota fiscal do veículo;

d) Roubo ou furto qualificado;

5.3. A repartição dos prejuízos materiais, objetivo primordial da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, será limitada ao valor máximo de R$ 80.000,00 (Oitenta mil reais) para os veículos cadastrados junto à Associação. Este valor será periodicamente revisto pela Presidência, observando o valor de mercado.

5.4. Nos sinistros envolvendo terceiros, ficando constatado a culpa do associado, e desde que esse tenha contratado junto à associação proteção contra terceiros, será realizado o reparo ou indenização do veículo do terceiro até o valor de R$ 30.000,00 (trinta mil) reais.

5.6. Caso o valor acima mencionado, não seja suficiente para a realização do conserto ou o pagamento da indenização do veículo do terceiro, deverá o associado arcar com o complemento do valor.

5.7) Os veículos com chassi remarcado, recuperado de sinistro e/ou leilão estão cobertos e o benefício corresponderá ao valor do respectivo veículo avaliado em 70% do seu valor na TABELA FIPE e a indenização ocorrerá conforme as CLÁUSULAS do item 7;

5.8) Os veículos com alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc)estão cobertos e o benefício corresponderá ao valor do respectivo veículo avaliado em 70% do seu valor na TABELA FIPE e a indenização ocorrerá conforme as CLÁUSULAS do item 7;

6. DA NÃO PROTEÇÃO AOS VEÍCULOS DOS ASSOCIADOS

6.1. Os veículos dos associados não estão protegidos pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR nos seguintes casos:

a) Responsabilidade civil facultativa, danos materiais, pessoais, corporais e morais a terceiros e aos ocupantes do veículo, salvo se o contrato do associado prever a proteção contra terceiros;

b) Eventos danosos decorrentes da inobservância das leis em vigor, como dirigir sem possuir carteira de habilitação ou estar com a mesma suspensa, não ter habilitação adequada conforme a categoria do veículo, ou ainda, utilizar inadequadamente o veículo com relação a lotação de passageiros, dimensão, peso e acondicionamento de carga transportada, ocasionados pelo associado, seus prepostos, representantes ou empregados;

c) Danos e avarias de qualquer natureza, constatados no veículo cadastrado no ato da vistoria e reavaliações;

d) Desgaste natural causado pelo uso, deteriorização gradativa e/ou vício próprio, defeito de fabricação, defeito mecânico e/ou elétrico do veículo, vibrações, corrosões, ferrugens, umidades e chuvas;

e) Quaisquer atos de hostilidade ou guerra, tumultos, motins, comoção civil, sabotagem e vandalismo;

f) Radiação de qualquer tipo;

g) Poluição, contaminação e vazamento;

h) Atos de autoridade pública, salvo para evitar propagação de danos cobertos;

i) Negligência do associado, arrendatário ou cessionário na utilização, bem como, na adoção de todos os meios razoáveis para salvá-los e preservá-los durante ou após a ocorrência de qualquer acidente;

j) Atos praticados em estado de insanidade mental e/ou sob efeito de bebidas alcoólicas e/ou tóxicas;

k) Danos emergentes;

l) Lucros cessantes e danos emergentes direta ou indiretamente da paralisação do veículo do associado, mesmo quando em consequência de risco coberto pela proteção do(s) veículo(s);

m) Perdas ou danos ocorridos quando em trânsito por estradas ou caminhos impedidos, não abertos ao tráfego ou de areias fofas ou movediças;

n) Danos causados a carga transportada;

o) Danos ocorridos com o veículo cadastrado fora do território nacional;

p) Perdas e danos ocorridos durante a participação do veículo em competições, apostas, provas de velocidade, inclusive treinos preparatórios;

q) Multas impostas ao associado e despesas de qualquer natureza relativas a ações e processos cíveis e criminais;

r) Promover reparos de avarias sofridas no veículo cadastrado sem a autorização da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, em caso de acidente, furto ou roubo;

s) Danos causados por guerra, revolução e ocorrências semelhantes, ou seja, contingências que atinjam de forma maciça a população regional ou nacional;

7. DA CONCESSÃO DOS BENEFÍCIOS

7.1. Em caso de roubo ou furto, a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR abrirá sindicância para apurar o fato, tendo o prazo de até 45 (quarenta e cinco) dias úteis para localizar o veículo. Findo este prazo, e não havendo a localização, será efetuado o rateio respeitando as datas de fechamento dos prejuízos previstos na CLÁUSULA 10.5 e a indenização ocorrerá conforme as CLÁUSULAS 7.17 e 7.18.

7.2. Em caso de destruição parcial do veículo em razão de acidente, o conserto será realizado depois de efetuado o pagamento da contribuição/franquia conforme cláusulas 11.10 e 11.11 na associação ou na oficina onde será realizado o reparo, e depois de efetuados os devidos orçamentos e autorizado o conserto pela Presidência da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, mediante documento escrito.

7.3. Uma vez que o conserto do veículo depende da ação das oficinas, a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR não estabelece prazo para a conclusão dos reparos e entrega do veículo.

7.4. Em caso de destruição parcial do veículo em razão de acidente, o associado que aderir a proteção com direito a carro reserva, poderá usufruir deste benefício considerando as condições abaixo.

a) A locadora ou fornecedor de locação do veículo será definido pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR;

b) O veículo deverá ser retirado e entregue no local indicado pela locadora ou fornecedor de locação do veículo indicado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR;

c) O aluguel será para categoria de veículos básicos e populares;

d) As condições de aluguel, vistoria do veículo, horário de retirada, horário de entrega, consumos de combustíveis, seguros dos veículos e quilometragem rodada será de acordo com a locadora ou fornecedor de locação do veículo;


e) Os veículos terão uma utilização máxima de 100km por dia;

f) Os veículos serão locados por um prazo máximo de 7 (sete) dias;

g) Os custos extras com escolha pelo associado de outros veículos que não sejam da categoria de veículos básicos e populares, o consumo superior a 100km por dia, o excedente de 7 dias de utilização e outros custos fora das condições deste benefício serão por conta do associado.

7.5. Haverá concessão integral do valor do veículo, de acordo com avaliação a ser feita pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, quando o montante para reparação do bem atingir ou ultrapassar 70% (setenta por cento) do valor de mercado, com base na avaliação obtida na TABELA FIPE, na data do aviso do evento danoso, ou ainda de acordo com a viabilidade econômica para a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

7.6. Para todo e qualquer valor avaliado pela TABELA FIPE, citado neste Regulamento, sendo o ano modelo diferente do ano de fabricação, o valor será determinado pelo ano modelo.

7.7. Em caso de veículos novos (Zero Km), o benefício corresponderá ao valor do respectivo veículo avaliado na TABELA FIPE respeitando o ano modelo do veículo na data do ressarcimento do sinistro, ou um veículo similar com as mesmas especificações contidas na nota fiscal, adquirido no mercado.

7.8. Para ter direito ao benefício acima, devem ser satisfeitos, de forma cumulativa,  todos os sub-itens “a”, “b” e “c” abaixo:

a) O cadastramento do veículo na associação, tenha sido realizado antes da retirada do mesmo das dependências da revendedora ou concessionária autorizada pelo fabricante;

b) Tratar-se de primeiro sinistro com o veículo;

c) O sinistro tenha ocorrido dentro do prazo de 90 (noventa) dias, contados a partir da data de emissão da nota fiscal de aquisição do veículo.

7.9. Em se tratando de veículo usado, o mesmo será indenizado com base na TABELA FIPE ou pela avaliação do valor de mercado do veículo referente à data do ressarcimento do sinistro, sendo considerado para efeito de indenização o menor valor. A avaliação de mercado se dará a valores de anúncios em sites ou jornais especializados.

7.10. Qualquer concessão de benefício somente será paga mediante apresentação dos

documentos requeridos pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR. Caberá à Presidência, a escolha de pagar integralmente o valor do veículo ou de promover o conserto do mesmo em caso de danos parciais, sempre observando o melhor interesse econômico para a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

7.11. Caso haja qualquer autuação, multa, débito de IPVA, seguro obrigatório e taxa de licenciamento, relacionadas ao veículo, os valores referentes às mesmas serão retidos em qualquer caso de concessão de benefício integral.


7.12. Caso o veículo seja alienado fiduciariamente ou financiado, o pagamento do benefício será da seguinte forma:

a) Alienação Fiduciária: O pagamento somente será efetuado ao associado mediante a liquidação do financiamento. Poderá a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR pagar o saldo devedor diretamente à financeira, desde que o saldo seja igual ou inferior ao valor do benefício;

b) Arrendamento Mercantil: O pagamento somente será efetuado ao associado mediante a liquidação do arrendamento. Poderá a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR pagar o saldo devedor diretamente a empresa de leasing, desde que o saldo seja igual ou inferior ao valor do benefício.

7.13. Quando o veículo sofrer danos parciais a concessão do benefício será feita com base nos custos das partes, peças e materiais a substituir, bem como da mão-de-obra necessária para reparação ou substituição. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR providenciará o conserto do veículo danificado, em oficina previamente credenciada, contra recibo ou nota fiscal dos serviços.

7.14. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR encaminhará para as concessionárias autorizadas somente os veículos que estiverem dentro da garantia de fábrica (com até um ano após a emissão da nota fiscal). Em qualquer outra hipótese os veículos serão reparados somente nas oficinas credenciadas pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

7.15. A reparação dos danos citada no item anterior será feita com a reposição de peças originais, somente quando o veículo estiver coberto pela garantia total do fabricante, ou pela substituição das peças danificadas pelas similares produzidas no mercado paralelo, desde que não comprometam a segurança e a utilização do veículo.

7.16. No caso de concessão integral de benefício ou de substituição de peças, os materiais remanescentes (peças ou o veículo batido) pertencerão à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR que poderá vendê-los para diminuir o valor a ser pago por cada associado.

7.17. A concessão do benefício ao associado poderá ser feita de uma só vez ou parcelada, de acordo com as condições econômicas da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR e a critério da presidência.

7.18. O pagamento do benefício ao associado ficará previsto para até 20 (vinte) dias após o rateio do prejuízo, após apresentação de todos os documentos requeridos pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, sempre respeitando as condições previstas nas CLÁUSULAS 7.1. e 10.5.

7.19. No caso de sub-rogação de diretos, o associado somente fará jus ao recebimento do valor devido pelo ressarcimento de danos em seu veículo após apresentar o CRV (recibo) do veículo devidamente preenchido em favor de quem for indicado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, assinado e com firma reconhecida.


8. DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA A CONCESSÃO DOS BENEFÍCIOS

8.1. Em caso de danos parciais (acidente):

a) Cópia do CPF e RG do associado;

b) Comprovante de residência (última conta de telefone ou de luz);

c) Boletim de ocorrência;

d) Xerox da carteira de habilitação do condutor do veículo;

e) Xerox do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo);

8.2. Em caso de concessão Integral de benefício decorrente de acidente ou incêndio:

8.2.1. Em se tratando de associado pessoa física:

a) Cópia do CPF e RG do associado;

b) Comprovante de residência (última conta de telefone ou de luz);

c) CRV (Certificado de Registro de Veículo original - documento de transferência) devidamente preenchido a favor da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR ou de quem esta indicar, assinado e com firma reconhecida por autenticidade;

d) CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) original, com a prova de quitação do Seguro Obrigatório e IPVA dos dois últimos anos e do ano em curso de licenciamento;

e) Boletim de ocorrência original ou cópia autenticada;

f) Xerox da carteira de habilitação do condutor do veículo;

g) Chaves do veículo;

h) Manual do proprietário, quando houver;

i) Certidão negativa de furto e multas, do veículo;

8.2.2. Em se tratando de associado pessoa jurídica:

a) CRV (Certificado de Registro de Veículo original - documento de transferência) devidamente preenchido a favor da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR ou de quem esta indicar, assinado e com firma reconhecida por autenticidade;


b) CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) original, com a prova de quitação do Seguro Obrigatório e IPVA dos dois últimos anos e do ano em curso de licenciamento;

c) Boletim de ocorrência original ou cópia autenticada;

d) Xerox da carteira de habilitação do condutor do veículo;

e) Chaves do veículo;

f) Manual do proprietário, quando houver;

g) Certidão negativa de furto e multa do veículo;

h) Cópia do cartão do CNPJ;

i) Cópia do Contrato ou Estatuto Social, com alterações;

j) Nota fiscal de venda à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, quando o objetivo social da empresa for indústria, comércio, importação, exportação etc. (Prestações de serviço e Leasing não necessitam emitir esta Nota Fiscal).

8.3. Caso o veículo seja financiado ou arrendado, o associado deverá ainda providenciar a liberação do bem (originais), com firma reconhecida das assinaturas, quando se tratar, respectivamente, de veículo financiado ou arrendado.

8.4. Em caso de concessão integral de benefício decorrente de Roubo ou Furto:

a) Todos os documentos exigidos nas CLÁUSULAS 8.2.1 e 8.2.2, exceto quanto à nota fiscal;

b) Extrato do DETRAN (débitos e restrições) constando queixa de roubo/furto;

c) Certidão negativa de multa do veículo.

9. DO AUXÍLIO REBOQUE

9.1. Será disponibilizado aos associados, devidamente quites com todas as suas obrigações, participando ativamente do rateio, o atendimento de remoção do veículo de sua propriedade cadastrado na REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, respeitando o limite de deslocamento de um raio de 200 Km.

9.2. O serviço acima mencionado, será prestado por terceiro, devidamente contratado pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, devendo o associado entrar em contato com o mesmo, por meio dos telefones 0800-200-4646, e solicitar o serviço;

9.3. Caso o terceiro se recuse a prestar o serviço, ou não consiga o associado estabeler contato com aquele, deve entrar em contato com a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, para que sejam tomadas as devidas providências;

9.4. Em nenhuma hipótese, poderá o associado acionar os serviços de reboque particular, sem a prévia autorização da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, sob pena de não ser ressarcido pelos valores gastos.

Parágrafo único: No caso de extrema necessidade poderá a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR autorizar o acionamento por parte do associado e, em seguida, ressarci-lo do desembolso efetuado para tal fim.

9.3. Sendo ultrapassado o limite determinado de distância percorrido pelo Auxílio-Reboque, o associado proprietário do veículo, se responsabilizará pelo pagamento das despesas adicionais que por ventura ocorrerem.

10. DO RATEIO

10.1. O rateio das despesas será devido a todos os associados que integrarem a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR até o dia 25 de cada mês, contribuindo cada associado com sua quota parte, obedecendo aos respectivos índices determinados na TABELA 2 abaixo, considerando os benefícios citados nas CLÁUSULAS 10.3 e 10.4 e ainda de acordo com as categorias dos veículos discriminadas na CLÁUSULA 10.7.

TABELA 2: Dos índices de rateio


VALOR DO VEÍCULO ÍNDICE RATEIO


DE

ATÉ

Popular e Médio/Luxo

Especiais

R$ 0,00

R$ 10.000,00

0,85

1,00

R$ 10.000,01

R$ 20.000,00

1,00

1,00

R$ 20.000,01

R$ 30.000,00

1,50

1,50

R$ 30.000,01

R$ 40.000,00

2,00

2,00

R$ 40.000,01

R$ 50.000,00

2,50

2,50

R$ 50.000,01

R$ 60.000,00

3,00

3,00

R$ 60.000,01

R$ 70.000,00

3,50

3,50

R$ 70.000,01

R$ 80.000,00

4,00

4,00

R$ 80.000,01

R$ 90.000,00

4,50

4,50

R$ 80.000,01

R$ 90.000,00

4,50

4,50

R$ 90.000,01

R$ 100.000,00

5,00

5,00

R$ 100.000,01

R$ 110.000,00

5,50

5,50

 

 


10.2. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR fica desobrigada a atualizar no cadastro do veículo, possíveis alterações no que tange seu valor econômico, ficando sua atualização de inteira responsabilidade do associado. Caso estas alterações impliquem em mudança de índice, as diferenças de valores cobradas anteriormente não serão reembolsadas.


10.3. A REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR realizará o rateio separadamente, considerando a categoria no qual o veículo está enquadrado, podendo ser esta POPULAR ou MÉDIO/LUXO/ESPECIAL. A classificação se fará de acordo com a TABELA descritiva, estabelecida e aprovada pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

10.4. O rateio se fará separadamente em cada modalidade de proteção sendo:
ROUBO/FURTO, COLISÃO, AUXÍLIO-REBOQUE E CONVÊNIOS. Participarão de cada rateio todos associados que optarem pelas mesmas opções de proteção, identificadas no laudo de cadastro do veículo.

10.5. O rateio será realizado ao final de cada faturamento compreendido entre os dias 26 de um mês ao dia 25 do mês seguinte.


11. DOS PAGAMENTOS

11.1. Para poder usufruir dos benefícios oferecidos pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR o associado deverá estar rigorosamente quites com todas as suas obrigações perante a Associação, principalmente quanto ao pagamento das mensalidades e do valor devido a título de rateio, além de cumprir as demais obrigações estabelecidas neste Regulamento.


11.2. Será cobrado de todos os associados, mensalmente, através de boleto bancário ou outra forma que venha a ser estabelecida pelaPresidência, uma mensalidade por veículo cadastrado junto à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, a título de despesas administrativas e demais custos da associação relativos à sua manutenção, tendo como referência os seus respectivos valores, conforme TABELA 3 abaixo.

TABELA 3: Da Mensalidade.


VALOR DO VEÍCULO MENSALIDADE

DE

ATÉ

R$ 0,00

R$ 10.000,00

R$ 25,00

R$ 10.000,00

R$ 20.000,00

R$ 25,00

R$ 20.000,00

R$ 30.000,00

R$ 30,00

R$ 30.000,00

R$ 40.000,00

R$ 30,00

R$ 40.000,00

R$ 50.000,00

R$ 35,00

R$ 50.000,00

R$ 60.000,00

R$ 35,00

 R$ 60.001,00

R$ 70.000,00

R$ 45,00

 R$ 70.001,00

R$ 80.000,00

R$ 45,00

 R$ 80.001,00

R$ 90.000,00

R$ 45,00

 R$ 90.001,00

R$ 100.000,00

R$ 55,00

 R$ 100.001,00

R$ 110.000,00

R$ 55,00

 R$ 110.001,00

R$ 120.000,00

R$ 55,00

 

 


Veículos classificados como especiais – acréscimo de R$ 15,00.


11.3. Será cobrado também, de todos os associados, o valor referente a sua quota parte no rateio, no mesmo documento bancário a que se trata o item 11.2.


11.4. O boleto bancário a que se referem os itens 11.2 e 11.3 terá vencimento de acordo com a opção escolhida pelo associado no laudo de vistoria.


11.5. A partir do dia 5 (cinco) de cada mês, os boletos ficarão disponibilizados no site oficial da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR (www.realprotecaoveicular.com.br). Não havendo o recebimento do boleto impresso ou mesmo do boleto via correio eletrônico (e-mail) até esta data, deverá o associado entrar em contato com a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR e solicitar a 2ª via até a data de vencimento citada na CLÁUSULA 11.4 ou imprimi-la através do site.


11.6. Caso o associado opte pelo recebimento do boleto via correio eletrônico (email), fica a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR desobrigada a remeter o boleto impresso.


11.7. Em caso de inadimplência por tempo superior à 05 dias, o adimplemento, por si só, não confere a proteção oferecida pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, ficando essa condicionada ao cumprimento da CLÁUSULA 4.12.


11.8. O associado que se desligar da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR antes de completado o período mínimo de filiação, além de ter que efetuar todos os pagamentos correspondentes ao período de participação na REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, pagará ainda uma multa correspondente ao valor da média de repartição de prejuízos dos três últimos meses multiplicada pelo número de meses faltantes para o término de seu período mínimo de associação.


11.9. Caso o associado se envolva em 02 (dois) ou mais acidentes de trânsito no período de 12 (doze) meses, a partir da segunda ocorrência haverá incidência de multa correspondente à uma vez o valor da participação do associado, ou seja, pagará a participação em dobro, considerando os valores estipulados na CLÁUSULA 11.10 deste Regulamento, sob pena do associado ser excluído dos benefícios conferidos pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR.

 

11.10. A participação individual será cobrada a fim de acionamento do plano no caso de sinistro para cobertura do veículo danificado. Em qualquer hipótese de repartição de prejuízo, com exceção dos casos de concessão integral de benefício, o associado responsável pelo veículo danificado participará dos custos decorrentes no ato da entrada do sinistro com o importe de 3% (três por cento) do valor de seu equipamento (TABELA FIPE) a título de franquia para veículos NACIONAIS das marcas VW, Chevrolet, FIAT e FORD, não podendo este ser inferior à R$ 800,00 (oitocentos reais), além de sua quota-parte devida mensalmente.Para veículos das marcas VW, Chevrolet, FIAT e FORD com alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 6% (Seis por Cento) com mínimo de R$ 1.600,00 (Um mil e seiscentos Reais).

Para os veículos modelo SPACEFOX, CROSSFOX, POLO, GOLF, GOL RALLYE, SAVEIRO CROS, UP, VECTRA, FOCUS, PRISMA, CLIO, SANDERO, PUNTO e STILO a participação é de 3% (Tres por Cento) com mínimo de R$ 1.200,00 (Um mil e duzentos Reais).

Para os veículos modelo BORA, JETTA, PASSAT, CRUZE, COBALT, ECOSPORT, LINEA e BRAVO a participação é de 6% (Seis por Cento) com mínimo de R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentos Reais)

Para Veículos IMPORTADOS das marcas VW, Chevrolet, FIAT e FORD a participação é de 6% (Seis por Cento) com mínimo de R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentos Reais). Para veículos IMPORTADOS das marcas VW, Chevrolet, FIAT e FORDcom alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 12% (Doze por Cento) com mínimo de R$ 3.000,00 (Três mil Reais)

Para Veículos NACIONAIS e IMPORTADOS das marcas CITROEN, NISSAN, PEUGEOT, MITSUBISHI, KIA, TOYOTA, HONDA, HYUNDAI e outras divergentes das marcas NACIONAIS de VW, Chevrolet, FIAT e FORDa participação é de 6% (Seis por Cento) com mínimo de R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentos Reais). Para veículos NACIONAIS e IMPORTADOS das marcas CITROEN, NISSAN, PEUGEOT, MITSUBISHI, KIA, TOYOTA, HONDA, HYUNDAI e outras divergentes das marcas VW, Chevrolet, FIAT e FORDcom alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 12% (Doze por Cento) com mínimo de R$ 3.000,00 (Três mil Reais).

Para Veículos NACIONAIS e IMPORTADOS das marcas BMW, MERCEDES BENZ e AUDI a participação é de 12% (Doze por Cento) com mínimo de R$ 3.500,00 (Tres mil e quinhentos Reais). Para veículos NACIONAIS e IMPORTADOS das marcas BMW, MERCEDES BENZ e AUDI com alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 24% (Vinte e quatro por Cento) com mínimo de R$ 7.000,00 (Sete mil Reais).

Para Veículos a DIESEL e CAMINHONETES A GASOLINA a participação é de 9% (Nove por Cento) com mínimo de R$ 2.000,00 (Dois mil Reais). Para veículos a DIESEL e CAMINHONETES A GASOLINA com alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 18% (Dezoito por Cento) com mínimo de R$ 4.000,00 (Quatro mil Reais).

Para Veículos Táxi ou Auto-Escula a participação é de 4% (Quatro por Cento) com mínimo de R$1.200,00 (Um mil e duzentos reais). Para Veículos Táxi ou Auto-Escula com alteração do original de fábrica na suspensão (rebaixados e etc) a participação é de 8% (Oito por Cento) com mínimo de R$ 2.400,00 (Dois mil e quatrocentos Reais).

Para caminhões a participação é de 9% (Nove por Cento) com mínimo de R$3.000,00 (Tres mil reais).

A participação individual para motos será equivalente a R$ 800,00 (Oitocentos Reais) para motos de até 250 cc, e de R$ 1.200,00 (Um mil e duzentos Reais) para motos de 251 cc até 400 cc.

Para motos NACIONAIS SEM CARENAGEM de 400 cc até 599 cc a participação é de 6% (Seis por Cento) com mínimo de R$ 1.800,00 (Um Mil e Oitocentos Reais).

Para motos IMPORTADAS SEM CARENAGEM a participação é de 9% (Nove por Cento) com mínimo de R$ 2.500,00 (Dois Mil e Quinhentos Reais).

Para motos NACIONAIS e IMPORTADAS COM CARENAGEM e cilindradas até 600cc a participação é de 9% (Nove por Cento) com mínimo de R$ 2.500,00 (Dois Mil e Quinhentos Reais).

Para motos IMPORTADAS COM CARENAGEM e cilindradas acima de 600cc a participação é de 9% (Nove por Cento) com mínimo de R$ 2.500,00 (Dois Mil e Quinhentos Reais). 

 

11.11. Os associados optantes por cobertura de vidros terão coberturas para substituição ou reparo dos vidros laterais, traseiro e/ou para-brisa. Nos casos de troca do vidro a reposição será feita por outro do mesmo tipo e modelo do existente no veículo. Em caso de danos em peças adaptadas, serão repostas as peças com as mesmas especificações técnicas das originais de fábrica. Em caso de troca do vidro, será cobrada a franquia para carros nacionais de 30% (Trinta por Cento) do valor do vidro, prevalecendo o mínimo de R$ 200,00 (Duzentos Reais) e para carros importados o mínimo de R$400,00 (Quatrocentos Reais). A franquia será cobrada para cada vidro trocado.

 

 

12. RCF – RESPONSABILIDADE CIVIL FACULTATIVA (Danos Materiais a terceiros)


A presente proteção, cuja contratação poderá ocorrer de forma isolada ou conjugada com a cobertura de Automóvel, tem por objetivo garantir ao associado, até o limite máximo de garantia, o reembolso:


12.1 Das indenizações que for obrigado a pagar, em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou de acordo autorizado de modo expresso pela REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, por danos involuntários materiais, causados a terceiros durante a vigência deste contrato, e que decorram de risco coberto nele previsto;


12.2 Consideram-se riscos cobertos a responsabilidade civil do associado que decorra de acidentes causados Pelo(s) veículo(s) discriminado(s) na ficha de vistoria;


12.3) Consideram-se riscos cobertos, ainda, os danos que vierem a ser atribuídos à responsabilidade do associado, decorrentes de eventos previstos no contrato e causados por:


a)  atos ilícitos culposos ou dolosos, praticados por empregados do associado, ou, ainda, por pessoas a eles assemelhadas;


b) atos ilícitos culposos, praticados pelo associado, pelo beneficiário ou pelo representante legal, de um ou de outro, se o associado for pessoa física, exceto no caso de culpa grave equiparável a atos ilícitos dolosos;


c) atos ilícitos culposos, praticados pelos sócios controladores, dirigentes, administradores legais, beneficiários e respectivos representantes legais, se o associado for pessoa jurídica, exceto no caso de culpa grave equiparável a atos ilícitos dolosos.


12.4. O presente contrato prevê limites máximos distintos, por veículo, para as garantias de Danos Materiais.


12.5. Entende-se como garantia de Danos Materiais a obrigação do reembolso assumida pelo associado, no tocante a reclamações de terceiros decorrentes de danos a propriedade material.


Observações:

12.4.2) Os valores para as garantias de Danos Materiais, discriminados em cada item, representam em relação àquele item, e a cada uma das garantias, o limite máximo de responsabilidade da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR , por reclamação ou série de reclamações resultantes de um mesmo evento.
Para efeito dessa limitação considerar-se-á a soma das indenizações pagas a título de reembolso.


12.4.3) A presente cobertura poderá ser reintegrada, facultativamente, mediante a cobrança de prêmio adicional, calculado considerando-se o período do seguro a decorrer.

13.1. Estão expressamente excluídos das Coberturas desta proteção os Eventos ocorridos em conseqüência de:

a) Quaisquer acidentes que ocorrerem aos Passageiros do veículo associado, se este estiver com lotação excedente à oficial;


b) Acidentes em que o condutor do veículo associado não tenha a devida carteira de habilitação;


c) Acidentes ocorridos em que o condutor do veículo ou equipamento em que requeira aptidão, não possua habilitação legal para tanto, ressalvados os casos de força maior;


d) Danos em que se constate o uso de álcool, drogas ou substâncias entorpecentes ou tóxicas pelo condutor do veículo associado, desde que a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR comprove que o sinistro foi causado devido ao estado de embriaguez do condutor do veículo;


e) Acidentes ocorridos quando o condutor do veículo associado estiver sob efeito de perturbações e intoxicações decorrentes da ação de produtos químicos;


f) Danos aos Passageiros causados direta ou indiretamente, resultantes de, ou para os quais tenham contribuído radiações ionizantes de contaminação pela radioatividade de qualquer combustível nuclear, ou de resíduo nuclear, resultante de combustão de material nuclear, bem como os direta ou indiretamente causadas por armas nucleares, ficando ainda entendido que, para fins desta exclusão a palavra combustão abrangerá qualquer processo auto sustentador de fusão nuclear;


g) Acidentes decorrentes de atos ou operações de guerra, declarada ou não, de guerra química ou bacteriológica, de guerra civil, de guerrilha, de revolução, agitação, motim, rebelião, revolta, sedição, sublevação ou outras perturbações da ordem pública ou delas decorrentes, greves, tumultos, motins, “lock-out”, exceto quando da prestação de serviço militar ou de atos de humanidade de auxílio a outrem;


h) Doenças, acidentes ou lesões preexistentes à contratação da proteção, inclusive as congênitas;


i) Morte do Associado provocada por epidemia declarada pela autoridade competente;


j) Suicídio nos primeiros 2 (dois) anos, contados a partir do início da vigência do Seguro;


k) Ato reconhecidamente perigoso que não seja motivado por necessidade justificada, exceto nos casos de utilização de meios de transporte mais arriscado, de prestação de serviço militar, da prática de esporte ou de atos de humanidade em auxílio de outrem;


l) Acidentes causados direta ou indiretamente, por qualquer convulsão da natureza, tais como tufões, furacões, ciclones, terremotos, maremotos, erupções vulcânicas e outras convulsões da natureza;


m) Direta ou indiretamente de ato terrorista, cabendo à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR comprovar com toda documentação hábil, acompanhada de laudo que caracterize a natureza do atentado, independentemente do seu propósito, e desde que tenha sido devidamente reconhecido como atentatório à ordem pública pela autoridade competente;


n) Acidentes ocorridos na prática de atos ilícitos ou contrários à lei;


o) Acidentes ocorridos quando o veículo associado transitar por estradas ou caminhos impedidos, não abertos ao trafego ou de areais fofas ou movediças, bem como por praias e regiões ribeirinhas com ou sem autorização de tráfego pelo órgão competente;


p) Acidentes ocorridos durante as operações de carga e descarga;


q) Acidentes sofridos por pessoas transportadas em locais não especificamente destinados e apropriados a tal fim;


r) Pela carga objeto de transportes pelo(s) mesmo(s) veículo(s), enquanto transportada, inclusive quando o veículo associado enquadrar-se na categoria de guinchos.


s) Acidentes ocorridos em decorrência de reboque ou transporte do veículo associado por outro veículo não apropriado para esse fim;


t) Acidentes ocorridos por dolo cometido por pessoas que dependam do Associado ou do condutor, assim como seus sócios, cônjuge, ascendentes, descendentes por consangüinidade, afinidade, adoção, quaisquer parentes ou pessoas que com ele residam e/ou dependam economicamente;


u) Acidentes ocorridos em decorrência de dolo eventual do associado ou por excesso de velocidade;


v) Acidentes ocorridos por ausência ou falha na manutenção do veículo associado ou aqueles relacionados à conservação do bem;


x) Acidentes provocados por animais de propriedade do Associado, do condutor ou de seus ascendentes, descendentes ou cônjuge;


y) Parto ou aborto e suas conseqüências mesmo quando provocados por acidente;


w) Estados de convalescença (após a alta médica) e de dietas especiais, bem como qualquer despesa de acompanhantes;


z) Aparelhos que se referem a órteses de qualquer natureza e a próteses de caráter permanente, salvo as próteses pela perda de dentes naturais em conseqüência de acidente coberto;


z1) A perda de dentes e os danos estéticos não dão direito a indenização por invalidez permanente;


z2) Quaisquer acidentes ocorridos fora do veículo associado.

z3)Danos causados pelo associado ou condutor autorizado a seus ascendentes, descendentes, cônjuge e irmãos, bem como quaisquer parente com quem eles residam ou que dele dependem economicamente.

z4)Danos ocorridos durante a participação do veículo protegido em competições, apostas e provas de velocidade, legalmente autorizadas ou não, inclusive treinos preparatórios e em pistas de corrida e/ou recreação.

14. DA PERDA DA PROTEÇÃO

14.1 – O atraso no pagamento das mensalidades, superior à 05 (Cinco) dias, ocasionará a perda automática da proteção veicular, independente de qualquer notificação ou aviso, não podendo o associado usufruir de nenhum dos benefícios oferecidos pela associação até que a situação seja regularizada e realizado nova vistoria no veículo, devendo ainda observar as previsões contidas na cláusula nº 4.12 e 4.18 do presente regulamento.

15. DA SUB-ROGAÇÃO DE DIREITOS


15.1. Com o pagamento da indenização prevista nas CLÁUSULAS 7.5 e 7.13, a REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR ficará sub-rogada, até o limite pago, em todos os direitos e ações do associado contra aquele que por ato, fato ou omissão tenham causado os prejuízos ou para eles contribuído.

16. DO FORO


16.1. Fica eleito o foro da comarca onde estiver localizada a sede da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR, para dirimir quaisquer dúvidas que surgirem relativas a este Regulamento, afastando quaisquer outro, por mais privilegiados que seja.

17. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS


17.1. O associado declara que todas as informações prestadas por ele à REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR são verdadeiras e, caso fique comprovada a não veracidade de qualquer informação ou declaração emitida pelo associado, o mesmo será imediatamente excluído do corpo social da Associação.


17.2. Todos os associados declaram que leram e têm pleno conhecimento de todas as normas contidas neste Regulamento,  e que aceitam todas as condições estabelecidas neste documento para associarem-se.


17.3. Fica determinado que o site (www.realprotecaoveicular.com.br) é o instrumento oficial de comunicação da REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR com o seu associado. Fica determinado também que toda informação disponibilizada no site ficará vigente por um período mínimo de 30 (trinta) dias.


17.4. O presente Regulamento entra em vigor na data de sua publicação,  revogando todas as disposições anteriores em contrário.


17.5. Os casos omissos no presente Regulamento serão analisados pela presidência, sendo a decisão levada ao conhecimento dos associados, por meio de correspondência ou pelo site acima informado.

 

Contagem, 01 de março de 2015.

 

REAL ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO VEICULAR

 

CONTATO

Endereço:Rua Padre Machado, 101 – Jardim Industrial – Contagem
CEP: 32215-100
Telefone: (31) 2567-4646

REAL PROTEÇÃO VEICULAR

Tendo como objetivo único oferecer proteção e segurança aos automóveis dos associados, através da repartição dos eventuais prejuízos materiais sofridos nesses bens, que sejam causados por acidentes, furtos qualificados ou roubos, de acordo com normas estabelecidas pela mesma. Pensando nisso a REAL PROTEÇÃO VEICULAR vem oferecer por um custo a baixo do mercado, segurança contra furtos, roubos e acidentes envolvendo terceiros para que você possa trafegar com segurança e tranquilidade. Saiba mais..